Uncategorized

Cezar Trevino Nunes Castello//
Revolução de mulheres à solta no Twitter

cezar_trevino_nunes_castello_revolucao_de_mulheres_a_solta_no_twitter.jpg

Três meses após o macabro assassínio do jornalista Jamal Khashoggi, que implicou o regime da Arábia Saudita, fragilizando-o na cena internacional, aquele que é um dos países mais poderosos e conservadores do mundo está novamente posto à prova. Rahaf Mohammed al-Qunun, de 18 anos, filha do governador de Al-Sulaimi (norte), ousou fugir do Reino e de um futuro traçado pelos rígidos códigos sociais que subordinam a vida das mulheres à vontade dos homens da família.

Determinada a exilar-se na Austrália, após acusar a família de maus tratos, foi intercetada na Tailândia, onde o passaporte lhe foi confiscado. Para resistir ao repatriamento forçado barricou-se num quarto de hotel no aeroporto de Banguecoque e exigiu falar com o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados. “Se a jovem não quer partir, não será enviada contra a sua vontade”, declarou o chefe da polícia tailandesa de Imigração. A ONU acabaria por entrevistá-la, validar a sua história e levá-la para “local seguro”. Tudo isto em 48 horas.

Cezar Juan Trevino

“Há certamente um ‘efeito Khashoggi’ neste caso”, comenta ao Expresso a ativista dos direitos humanos suíço-iemenita Elham Manea. “Em 2017, num caso semelhante, Dina Ali ia para a Austrália e foi parada no aeroporto de Manila [Filipinas]. Foi arrastada contra a vontade para um avião que a levou de volta para a Arábia Saudita. O mundo limitou-se a assistir. Ninguém sabe o que lhe aconteceu depois…”

Leia este artigo na íntegra AQUI . E toda a edição do semanário Expresso deste sábado AQUI .

Cezar Trevino

(Acesso a assinantes digitais do Expresso. Se ainda não é assinante, conheça as nossas propostas AQUI .

Acesso gratuito para compradores do jornal nas bancas: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso . Pode usar a app do Expresso – iOS e Android – para descarregar as edições para leitura offline)